header-photo

A alegria de ser

Existem mais de 6 bilhões de pessoas no mundo e ninguém é igual a ninguém. Bem, talvez gêmeos sejam bastante parecidos, mas todos apresentam características únicas. Realmente incrível, né? Mas qual é o proposito disso? É uma coincidência sermos todos diferentes?
Minha professora de biologia dizia que não. É uma maneira da especie se perpetuar. De criarmos resistência as forças da natureza. Mas é só isso? E os aspectos mais interiores? Porque a necessidade de tanta diversidade?

Porque nenhuma alegria supera a alegria de ser único. Através de nossa própria originalidade somos capazes de sentir a alegria de estar vivo. Mas se somos tão diferentes por que temos tanta dificuldade de aceitarmos como somos? Do que temos medo?

Vamos ver algumas fontes desses problemas.

A primeira é a sociedade. Somos condicionados desde pequenos a nos encaixar em papeis pré-estabelecidos. No aspecto maior, somos todos seres humanos, mas começamos a nos diferenciar pela nossa nacionalidade, nossa classe social, nossa religião, etc... Todos com códigos estritos de conduta para nos identificar como pertencentes a um grupo. Todos eles com mecanismos para excluir os parias, aqueles que não se encaixam ao grupo e que devem ser marginalizados. Logo, temos que nos adaptar, nos misturar ao grupo e ir aos poucos perdendo as nossas liberdades e as substituindo por valores morais impostos pelo todo. No quesito religião, somos doutrinados a seguir um padrão de conduta... a criança deve se espelhar em figuras míticas e não tem chances de explorar as suas infinitas possibilidades.

A nossa Família e nosso sistema educacional entram no jogo também. Desde pequenos eles são as forças mais fortes e presentes em nosso condicionamento. Todos deveriam saber que o sistema educacional lhe dá conhecimento, destroi a sua Inocência, infla o seu ego e te torna mais corrupto. Não importa quantos diplomas você possa ter, a maioria de nós segue sem conhecer valores de ética básicos e pior ainda como aproveitar o que a vida pode nos oferecer.

A prova que nosso sistema educacional é uma fabrica de fazer zumbis se esconde na sua própria estrutura. Podemos ver isso claramente se formos analisar apenas alguns fatores. A palavra "aluno", que no latim era "alumnu", significa "sem luz", logo temos um sistema que de cara já deprecia e tira todo o valor do ser humano. Esses vícios de sociedades antigas continuam até hoje sem sabermos porque. Temos um mestre, uma figura de autoridade que deve ser emulada, que não gosta doque esta fazendo e na maioria das vezes cospe conhecimento sem ao menos dar ao aluno o prazer de aprender ou entender porque aquilo é tão importante. O objetivo é sempre passar em exames. Temos uma estrutura escolar fechada e industrial..meio que uma linha de montagem de pessoas. Aluno entra e Aluno sai. Porque nossas escolas não são abertas para qualquer pessoa com vontade de aprender?


Mas e a família? O drama familiar começa cedo. Algumas famílias ainda convivem com o fantasma dos pais que precisam se realizar através de suas crianças. Se o pai não conseguiu ser um médico, ele quer que seu filho seja um médico. Mas e se o filho fosse mais feliz sendo um Professor? O filho tem que escutar seu pai. Se não escutar isso seria um insulto a todo o amor e sacrifícios que ele fez em sua vida. Esse tipo de chantagem e a incapacidade de respeitar a individualidade de cada um é o causador de toda a rebeldia. A geração mais velha nunca entende que aqueles não são mais os seus tempos, que tudo muda, inclusive pessoas. Exemplos disso não faltam. Quantas pessoas são infelizes fazendo oque não gostam por motivos bobos. Quantas delas largam tudo por um sonho.

Mídia, a grande Hidra de nossos tempos. A mídia de massa seja a televisão, filmes, musica, video clipes tem o efeito mais negativos de todos. Na nossa sociedade estes são os veículos por onde nossas limitações são impostas. A cultura Pop é tão persuasiva que é capaz de movimentar milhões para criar tendencias desnecessárias, distrações, modelos de como viver e ser feliz, celebridades, estrelas, heróis, etc...

As crianças, até aos sete anos de idade são as mais vulneráveis, especialmente quando a TV se torna a sua baba. Os adolescentes são outro nixo de mercado valorizadissimo. São obrigados a acreditar (sem perceber é claro. A sutileza sempre foi a arma mais poderosa da Comunicação) que se não aderirem a algum modismo eles nuca receberam atenção de seus amigos. Isso é lamentável. Hoje, é mais fácil aderir a algum tipo de moda ou modismo pré-fabricado doque desenvolver a sua própria individualidade. Mas ninguém tem culpa disso. No final dos anos 60 essa foi a maneira que a Sociedade de Consumo encontrou para se perpetuar... explorar a necessidade da individualidade. Você pode ser desta maneira ou desta maneira...oque importa é que nós podemos lhe vender tudo para você ser feliz.

Mas será que somos felizes mesmo?
Ta eae? O que eu posso fazer para ser melhor se estou neste mundo que quer me lobotomizar?
  1. A primeira coisa que precisamos é ter Coragem. É isso ae! É preciso uma tremenda coragem para se levantar e lutar contras as coisas que te impedem de ser você mesmo. Protestar contra tudo que impede e limita o seu crescimento. O mais importante é saber que você tem que fazer tudo sozinho. Ninguém vai vir te salvar. Você é seu próprio Messias. Nada de esperar a Segunda Vinda, você pode começar o trabalho agora. É claro que no inicio ninguém vai entender nada. A resistência ao novo sempre existiu e sempre vai existir. Mas não existe nada melhor do que lutar pela própria individualidade e originalidade. Se rebele pela sua liberdade enquanto pode. É a coisa mais gratificante do mundo, não substitua isso por algo temporário e sem valor.
  2. Medo. A sociedade vive de medo. Prova disso? Ligue a TV e sintonize na Record meio-dia. Rola um bloco inteiro para te fazer ter medo de tudo. Sua família, seu vizinho, o estranho que quis ser educado. Não olhe pela sua janela, coloque uma grade enorme e decore a sua pequena cela. Ah mas não é só medo que entra em jogo...espere uma dose de culpa também! Mas isso não é problema pra quem deu o primeiro passo! Encare os seus medos e eles não terão mais poder sobre você.
  3. Uma vez com esses detalhes vencidos a parte gratificante chega. A responsabilidade. Wow! Como assim?! O sofrimento surge da nossa própria incapacidade de aceitar como nos somos, como agimos, como nos portamos. No momento que você entra em equilíbrio com isso a responsabilidade vem naturalmente. Ao se aceitar, você se torna responsável por si mesmo. E ai começa o caminho gratificante que eu tinha falado, dai surge o amor por si mesmo. Um amor que é capaz de te preencher de alegria. Por isso é tão gostoso viver em paz consigo mesmo.
  4. O ultimo passo é a consciência. Ao ver a revolução interna que você foi capaz de empreender é impossível olhar para outro ser humano e não reconhecer a beleza de sua diversidade. Na verdade esse é a Utopia que todas as sociedades deveriam seguir... a consciência que todo ser humano é livre para desenvolver o seu potencial.

1 comentários:

Cissa Fraga disse...

E Viva a Escolinha de Frankfurt! Ta otimo o post Pepe!

Aquele abraco!